Gira de Caboclo Boiadeiro

Gira de Caboclo Boiadeiro

O nosso próximo encontro será em Benfica, sábado, dia 10 de novembro, às 17 horas, com a gira de Caboclo Boiadeiro.

Local: Rua Boituva, 117 – Benfica.

Lembramos que não é permitida a permanência, nessa gira, de criança com menos de 12 anos.

Pedimos que não vistam roupas escuras, curtas e decotadas.

Não é permitido o uso de celular no interior do Centro.

Umbanda, minha religião! Respeitem a Umbanda!

Gira de Preto Velho

Gira de Preto Velho

O nosso próximo encontro será em Benfica, sábado, dia 03 de novembro, às 17 horas, com a gira de Preto Velho.

Local: Rua Boituva, 117 – Benfica.

É permitida a permanência, nessa gira, de criança.

Pedimos que não vistam roupas escuras, curtas e decotadas.

Não é permitido o uso de celular no interior do Centro.

Informamos que será a última gira de Preto Velho de 2018.

Umbanda, minha religião! Respeitem a Umbanda!

Gira de Exu

Gira de Exu

Nosso próximo encontro será no dia 27 de outubro, às 17 horas, com a gira de Exu.

Rua Boituva, 117 – Benfica

Próximo ao viaduto Ataulfo Alves, na Av. Brasil.

Referência: Av. Prefeito Olímpio de Melo dobrar para Rua Couto de Magalhães.

Não é permitida a entrada de crianças com menos de 12 anos.

Favor não comparecer com roupas escuras, curtas e decotadas.

Pedimos para desligar o celular no interior do terreiro.

Gira de Boiadeiro

Gira de Boiadeiro

O nosso próximo encontro será em Benfica, sábado, dia 20 de outubro, às 17 horas, com a gira de Caboclo Boiadeiro.

Local: Rua Boituva, 117 – Benfica.

Lembramos que não é permitida a permanência, nessa gira, de criança com menos de 12 anos.

Pedimos que não vistam roupas escuras, curtas e decotadas.

Não é permitido o uso de celular no interior do Centro.

Umbanda, minha religião! Respeitem a Umbanda!

Gira de Preto Velho

Gira de Preto Velho

O nosso próximo encontro será em Benfica, sábado, dia 06 de outubro, às 17 horas, com a gira de Preto Velho.

Local: Rua Boituva, 117 – Benfica.

É permitida a permanência, nessa gira, de criança.

Pedimos que não vistam roupas escuras, curtas e decotadas.

Não é permitido o uso de celular no interior do Centro.

Umbanda, minha religião! Respeitem a Umbanda!

Gira de Caboclo Boiadeiro

Gira de Caboclo Boiadeiro

O nosso próximo encontro será em Benfica, sábado, dia 22 de setembro, às 17 horas, com a gira de Caboclo Boiadeiro.

Local: Rua Boituva, 117 – Benfica.

Lembramos que não é permitida a permanência, nessa gira, de criança com menos de 12 anos.

Pedimos que não vistam roupas escuras, curtas e decotadas.

Não é permitido o uso de celular no interior do Centro.

Umbanda, minha religião! Respeitem a Umbanda!

A liturgia do tempo

A liturgia do tempo

A velhice é este tempo em que passa a utilidade e aí fica só o seu significado como pessoa.

Um momento em que a gente se purifica e tem a oportunidade de saber quem nos ama de verdade, pois só vai ficar do nosso lado até o fim aquele que, depois da nossa “utilidade”, descobrir o nosso significado.

Se queres saber se uma pessoa te ama de verdade, é só identificar se ela seria capaz de tolerar a sua inutilidade… Quer saber se você ama alguém de verdade? Pergunte a si mesmo: “Quem nesta vida pode ficar ‘inútil’ para mim, sem que eu sinta o desejo de jogá-lo fora?” É assim que descobriremos o significado do amor…

Só o amor nos dá condição de cuidar do outro até fim. Feliz aquele que tem, ao final da vida, a graça de ser olhado nos olhos e ouvir a fala que diz: “Você ‘não serve para nada’, mas eu não sei viver sem você!.”

Padre Fabio de Melo

Interpretação de texto * por Luciano Nascimento

A maior parte das pessoas já ouviu falar em “metáfora”, a comparação implícita entre dois seres: “Maria é uma flor.”, “O baile ’tá uma uva!”, “Cheguei tarde e meu pai ficou um siri na lata”… Jesus gostava muito de metáforas: “pescadores de homens” (humanos comparados a peixes), “eu sou o pão da vida” (um homem assemelhado ao alimento), “luz do mundo” (luz associada a conhecimento). Cristo gostava tanto dessas associações que as empregava como recurso pedagógico, isto é, Ele se valia de grandes metáforas para ensinar. É o caso das famosas parábolas, todas elas de fundo metafórico.

Acontece que nem tudo que Jesus Cristo falava era metafórico. Muitas vezes Ele era absolutamente literal, ou seja, falava letra por letra aquilo que Ele queria que as pessoas aprendessem, praticassem e ensinassem umas às outras. É o caso, por exemplo, do que Ele afirmou ser o maior de todos os mandamentos: “Amai a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”. Não cabe dúvida, não há metáfora na passagem.

Cristo foi claro e objetivo: o dever de todo cristão é amar a Deus e ao próximo. Tanto é que Ele mesmo, para dar exemplo desse amor incondicional, entregou-Se em sacrifício e, no último momento, antes de morrer por nós, perdoou Dimas, o “bom ladrão”, e pediu o perdão de Seus próprios assassinos, que “não sabiam o que faziam”.

Seguindo esse ensinamento, Vovô Carreiro (o preto velho que também chefia o Centro Espírita Pai Mujongo da Bahia, que faz e ensina o Bem há mais de 40 anos no Rio de Janeiro) diz: “Confia em Deus que ele vai lhe defender de todo mal. […] As pessoas têm que obedecer a Deus em todas as circunstâncias, elas não podem guardar raiva, ódio, ressentimentos”. Vale lembrar que os pretos velhos são entidades que representam os milhões de pessoas de pele negra escravizadas, agredidas e mortas de maneira banal apenas por conta da cor de sua pele. Hoje em dia, na Umbanda, essas entidades procuram nos ensinar a termos fé na providência divina e a amarmos aos nossos semelhantes, ainda que eles nos façam mal. Nisso também não há metáforas.

Interpretando as mensagens de Vovô Carreiro e de Jesus Cristo com atenção, entendemos que, no fundo, elas são uma só: “é preciso amar ao próximo, ainda que ele nos agrida”. Cristo não pediu que Deus-Pai fulminasse Pilatos ou Caifás, nem que punisse Barrabás ou Dimas; Vovô Carreiro nunca disse “feitor bom é feitor morto”.

Sem metáforas, é preciso que aprendamos de uma vez por todas essa lição.

Luciano Nascimento